segunda-feira, 28 de abril de 2008

Deus, nos acuda!

Já diz o ditado popular, quem conta um conto aumenta um ponto. Mas nesta história não aumentarei nada. Juro! Este domingo foi de arrepiar (Pena que o carnaval já passou e a Viradouro não pôde apresentar esse enredo na avenida)!
Começou cedo o dia. Acordei com mais um belo dia de sol, perfeito para uma piscina. Seria realmente perfeito se não fosse dia de pobre. Sim, dia de pobre, que pensa em melhorar na vida e está "se matando" por um lugar o sol. No lugar de "se matando" leia-se "estudando para concursos". Foi o dia da prova de Angra dos Reis.
Como já havia estudando bastante, resolvi levar para a viagem de duas horas e meia (não esquecendo das curvas maravilhosas que a estrada oferece), revistas que não faziam o tico e o teco trabalharem demais. Comprei Boa Forma e Quem. Li um pouco nos quinze primeiros minutos da viagem e logo depois dormi como uma pedra, acordando apenas na Parada em Lídice.
No comprovante da inscrição dizia que o colégio no qual faria a prova era próximo ao Piratas Mall. Ótimo, pensei, almoçarei no Piratas e farei a prova tranquilamente. No mesmo ponto que eu desceram outras duas meninas que fariam a prova também. Vale lembrar que foram 110 inscritos para uma única vaga. Michelly e Aparecida passaram a ser minhas companheiras de aventuras neste dia.
Começamos a rir quando lembramos de uma pobre coitada que pediu para o motorista parar no primeiro trvo que viu e ao redor só havia mato. Provavelmente deve estar até agora procurando o lugarda prova, ou voltou para Barra Mansa a pé e já deve estar totalmente desidratada. Ao menos deve ter perdido uns 7 quilos, e estou começando a ficar com inveja...
Perguntamos aos nativos onde ficava o clégio e tive uma revelação. Angra dos Reis fica em Minas Gerais. Sim, porque o ali de mineiro prevalece naquela terra. O "próximo ao Piratas", como dizia no cartão era, na realidade, há 30 minutos do shopping. Foi então que decidimos almoçar por ali e pegar o ônibus Marinas, que sgundo Michelly era Maresias. Acho que no fundo era o subconsciente dela pedidndo para sair de Minas e vagar por Sampa.
O antivo que deu a informação que havia ônibus foi super legal, pena que ele esqueceu de dizer que o coletivo passava a cada 50 minutos. Durante a espera surgiram praticamente do nada três rapazes. Todos com cara de cansados e suados. Eles perguntaram se sabíamos onde ficava um colégio, podia ser estadual, municipal...quase que perguntei se era para eles estudarem, mas quis ser legal e perguntei o nome do colégio...eles sequer sabiam. Isso é que é povo estudioso! Bem, informamos, como boas meninas, que eles teriam que andar por meia hora para chegar ao destino, então seria bem melhor que fossem de ônibus. Ignorando nossa camaradagem eles resolveram ir a pé. E pelo caminho que percebi que eles iriam fazer... Se você for à Angra e encontrar três pobres rapazes em estado de desidratação e insolação plena...sim, são eles! No local da prova, provavelmente, eles não chegaram. Até mesmo porque o morro para se chegar ao colégio era tão íngrime que Michelli estava à procura de equipamento de rapel.
...continua...

2 comentários:

Flávia Resende disse...

Estou esperando a continuação! rsrs
Bjocas

Anônimo disse...

Não apenas apóio a companheira do Centro do Mundo...como manifesto a minha gratidão pela condescendência da proprietária desse blog ao aceitar a minha prestação em atraso da Buri..cof cof cof...digo de algum conglomerado do clã Abravanel...cof cof...desligo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...