quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Machismo

Estou para escrever sobre esse tema há algum tempo. Desde quando terminou a micro-série da Globo, "Dalva e Herivelto - uma canção de amor". Antes de qualquer coisa quero deixar claro que eu ASSISTO novelas, mini-séries, realitys shows...enfim...assisto TV e gosto! Gosto principalmente de analisar comportamentos. Embora não seja psicóloga gosto de escrever sobre o perfil dos personagens. Quando a história é real, me encanta ainda mais e fico cheia de olheiras no dia seguinte por causa da noite mal dormida. Mas para mim é muito válido.
Voltando...
Se alguém acompanhou a série ou a história deles viu que Herivelto preferiu perder o amor da sua vida a se render a ele. Homem não ama! Homem trai!
Tudo bem que a minha concepção de traição é diferente da maioria das pessoas, mas isso é outro assunto. O machismo deixa as pessoas violentas e burras. No meu conceito machismo é um preconceito, infelizmente, aceito pela sociedade.
O homem que fica com muitas é galinha (deve ser gostoso, é o tal), já a mulher que fica com muitos é galinha também, mas o conceito é outro: rampeira, vagabunca, piranha.
Se numa relação conjugal o homem trai, a mulher é muitas vezes rechaçada se não aceita e termina a relação. Já o homem se descobre que a mulher trai é um corno, idiota se não terminar com ela e tirar tudo o que lhe deu um dia. Até mesmo os filhos!
O que mais me irrita são as mulheres machistas. Uma vez escutei da minha avó que quando o marido for para o bar com os amigos ela deve esperá-lo em casa bem perfumada e com um bolo à mesa.
Ah, fala sério, o fdp vai para o bar, não te leva, chega fedendo cachaça e vc tem q estar cheirosa e com bolo pronto! Para ele comer duas vezes e você ficar insatisfeita né.
Graças a Deus vivo em uma época que isso não é mais obrigatório, mas olhos inquisidores ainda existem.
Uma pena, pois tanta gente lutou pela liberdade feminina e alguns teimam em achar que isso foi errado.

T. Costa

4 comentários:

Gil Rosza disse...

Acho que coisa passa pelo modelo e falo de um modelo de 50 anos atrás. Namorar, noivar, trocar alianças e casar vestida de noiva na igreja que hoje em dia voltou a estar na moda com pessoas com menos de 30, em qualquer nível sócio-cultural, mas acho que esse modelo acaba fortalecendo a coisa da posse, como vc disse. O machismo (feminino ou masculino) tem muito a ver com a crença na possessividade. O cara vê uma mulher embrulhada numa embalagem branca-florida e pensa: é minha pra usos e frutos, até eu enjoar e começar a querer comer outra marca. A mina pensa. Sou dele! Ai que medo de perde-lo! É claro que to generalizando, nem sempre é assim, mas o numero crescente de crimes passionais no Brasil me faz achar que o modelo já não funciona mto bem, embora seja extremamente popular.

Giovana Damaceno disse...

As mães continuam criando filhos machistas. Hoje mesmo disse à minha mãe, sobre meu irmão: "A senhora não criou um homem, criou uma dondoca". Disse isso porque meu irmão sequer arruma o próprio prato de comida. Minha cunhada tem que dar tudo na mão. Ou seja, ele casou com a segunda mãe. Isso é o cúmulo do absurdo do machismo. E as mulheres continuam ensinando isso aos seus filhos. Homem pode tudo; já beijou na boca daquela menina?; tem que pegar logo!; não seja babaca, você é homem, pode fazer o que quiser!. E por aí vai...

Camilla para os menos íntimos... disse...

o machismo é doença...
e é um tema tão amplo que nunca se esgota... sou suspeita em falar sobre e acabar entrando num debate extenso demais e chato para algumas pessoas...

Thaissa Costa disse...

Esse fato de casar-se com uma mulher que acaba por fazer o papel de mãe é um assunto delicado e triste, ao meu ver. Por isso muitos homens traem, pois é óbvio que se a mulher assume o papel de mãe acaba não tendo valor sexual, uma vez que qualquer homem são não nutriria desejos sexuais pela mãe, exceto até os cinco anos de idade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...